La Petite Princesse

“Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”

Sem Mandamentos outubro 11, 2009

Filed under: — Nathalia Galia @ 3:16 am

Hino  pode ser um canto de louvor ou adoração, de uma nação, de um partido, de uma instituição pública ou instituto particular, agremiação e semelhantes. Mais que isso. Hino não é só o do país em que vivemos ou do time de futebol preferido. Estes casos são realmente os mais famosos vai, mas por que mesmo? Porque funcionam como um grito de guerra. Quando ele toca, a gente se preenche de alguma coisa que nos faz lembrar o por quê estamos cantando. Nós.  Trata-se de um ritual mágico ou um esquenta pré-balada. Tanto faz.. hino precede algo e nos traz coragem e reafirma aquilo que acreditamos. 

Cada um de nós deveria adototar um próprio hino. Único, individual. Chega a ser meio egoísta, algo bem nosso, e de mais ninguém. Um hino que nos desperte aquilo que temos de  melhor..e que por tantas vezes fica escondido sob camadas e mais camadas de camadas que não se sabe o por quê estão lá. 

 Hino pra mim, espinafre pro Popey, o Mickey pra Minie, música para a caixinha. Pó de pirinpinpin. Assim, assim. Sem porque, sem razão, sem fim. Puro sentimento, sem mandamentos.

“Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos
de rostos serenos, de palavras soltas
eu quero a rua toda parecendo louca
com gente gritando e se abraçando ao sol

Hoje eu quero ver a bola da criança livre
quero ver os sonhos todos nas janelas
quero ver vocês andando por aí

Hoje eu vou pedir desculpas pelo que eu não disse
eu até desculpo o que você falou
eu quero ver meu coração no seu sorriso
e no olho da tarde a primeira luz

Hoje eu quero que os boêmios gritem bem mais alto
eu quero um carnaval no engarrafamento
e que dez mil estrelas vão riscando o céu
buscando a sua casa no amanhecer

Hoje eu vou fazer barulho pela madrugada
rasgar a noite escura como um lampião
eu vou fazer seresta na sua calçada
eu vou fazer misérias no seu coração

Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
pra escrever a música sem pretensão
eu quero que as buzinas toquem flauta-doce
e que triunfe a força da imaginação.

…eu vou fazer seresta na sua calçada
eu vou fazer misérias no seu coração

Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
pra escrever a música sem pretensão
eu quero que as buzinas toquem flauta-doce
e que triunfe a força da imaginação”

-Oswaldo Montenegro

PS: Brasil, Corinthias, Eu,…

Anúncios